A sensibilização ao cuidado parental posterga o início da vida reprodutiva dos adolescentes?

Resumo: O pensamento evolucionista nas ciências sociais tem contribuído para a compreensão da psicologia e do comportamento humano. No entanto, tentativas de aplicar esse conhecimento a problemas do mundo real ainda são raras. Apresentamos aqui um programa de intervenção baseado no pensamento evolutcionista que aborda o problema da gravidez na adolescência. A gravidez na adolescência é entendida como uma resposta adaptativa a um ambiente imprevisível. Foi hipotetizado que expor os adolescentes à observação e análise do cuidado parental poderia melhorar sua percepção de previsibilidade sobre o cuidado de crianças, resultando em atraso no início da vida reprodutiva. A intervenção proposta é direcionada a adolescentes de 12 a 13 anos de idade estudantes de escolas públicas da Grande Vitória. A percepção de imprevisibilidade familiar durante a infância, as crenças de imprevisibilidade e a intenção de alcançar marcos futuros serão avaliadas antes e após a intervenção. A intervenção consiste em quatro encontros nos quais os adolescentes são encorajados a analisar interações previamente gravadas em video entre pais e filhos e a refletir sobre os cuidados que receberam durante a infância, suas próprias experiências como cuidadores e suas expectativas como futuros pais. Inclui ainda tarefas de observação e descrição de interações que ocorrem naturalmente entre pais e filhos no ambiente do adolescente. O programa será aplicado em turmas nas escolas. As turmas serão sorteadas para participarem da condição experimental ou da condição de controle.

Data de início: 2016-05-03
Prazo (meses): 48

Participantes:

Papelordem decrescente Nome
Aluno Mestrado Adauto Barcellos de Carvalho Neto
Coordenador Rosana Suemi Tokumaru
Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910